Dakar’11 (Crónica): Pódio mais longe para os portugueses

Publicado por em 9 de Janeiro de 2011

Helder Rodrigues

Helder Rodrigues

A organização retirou mais de metade dos 600 quilómetros da especial de ontem mas, mesmo com “apenas” 247 pela frente, o dia foi duro para os portugueses, que viram o pódio ficar mais longe graças à vitória do chileno Chaleco Lopez (Aprilia), mesmo perdendo o escape a meio da tirada em que foi secundado por Cyril Després (KTM) e Marc Coma (KTM). “Parte da especial era motocrosse puro… duro mas exigente. Sofri um pouco no início porque ia atrás do Ruben Faria e apanhei o pó dele”, disse o espanhol.

Mesmo assim, Hélder Rodrigues (Yamaha) foi quarto e Ruben Faria (KTM) quinto, mantendo idênticas posições na classificação geral. O problema é que a distância para o terceiro lugar já é de quase 20m. “Esta foi uma etapa verdadeiramente demolidora onde até zonas de trial apanhámos. Saindo à frente sabia que era inevitável ser apanhado pelos meus mais directos perseguidores nas zonas lentas de dunas e foi isso que acabou por acontecer. Mas sei que andei bem e naveguei melhor. Agora os papéis invertem-se”, disse Hélder Rodrigues.

O piloto português será o quarto a sair para a pista e já terá marcas para seguir, podendo recuperar tempo para os adversários. “Sei que nessas circunstâncias e com dunas pelo meio tenho todas as condições para recuperar bem”, sublinhou.

Ruben Faria
Ruben Faria

E quem não baixa os braços é Ruben Faria, que mantém a aposta numa vitória, pelo menos da equipa. “É para isso que estamos aqui e é isso que vamos perseguir até ao derradeiro quilómetro da prova”, avisou.

Hoje, Paulo Gonçalves (BMW) superou o problema eléctrico que o atrasou irremediavelmente na sexta-feira e voltou a entrar nos dez primeiros de uma etapa. Foi oitavo classificado.

Mas se a Paulo Gonçalves resta pouco mais do que tentar mostrar os patrocinadores a cada etapa, tanto Hélder Rodrigues como Ruben Faria mantêm aspirações ao pódio. E nesta altura começa a ser evidente que Després e, sobretudo, Coma, estão à defesa, mantendo as perdas por etapa em valores aceitáveis e mais preocupados em marcarem-se um ao outro.

A andar bem está também Pedro Oliveira (Dakartek). O piloto do Porto tem subido lugares a cada dia que passa e já é 27.º classificado.  A equipa mantém-se toda em prova, sublinhando o sucesso deste projecto “made in Portugal”.

Rui Oliveira (Dakartek), Fausto Mota (Dakartek) e Bianchi Prata (BMW) também se mantém em prova, com prestações regulares, apesar de Mota já ter sido penalizado em cinco horas por falhar um way-point.

Amanhã, os pilotos continuarão junto ao Oceano Pacifico, numa etapa que ligará a Pérola do Norte, como é conhecida Antofagasta, a Copiapo (conhecida pelo mediático acidente ocorrido nas minas de San José em 5 de Agosto de 2010). Uma especial marcada por várias passagens de vale para vale, com bastantes trilhos mineiros e muita navegação, sendo a parte final com bastante areia e com necessidade de uma atenção redobrada.

Classificações

Motos

7ª etapa

1.º Chaleco Lopez (Aprilia)    3h29m46s

2.º Cyril Després (KTM)        a 2m21s

3.º Marc Coma (KTM)           a 3m45s

4ºHélder Rodrigues (Yamaha)          a 9m14s

5.º Ruben Faria (KTM)          a 10m44s

8.º Paulo Gonçalves (BMW) a 14m03s

29º Pedro Oliveira (Dakartek)           a 52m50s

38.º Bianchi Prata (BMW)     a 1h12m44s

52º Fausto Mota (Dakartek)  a 1h29m06s

78º Rui Oliveira (Dakartek)   a 2h44m59s

Geral

1º Marc Coma (KTM)            26h13m51s

2º Cyril Després (KTM)         a 7m24s

3º Chaleco Lopez (Aprilia)     a 18m27s

4º Hélder Rodrigues (Yamaha)         a 33m04s

5º Ruben Faria (KTM)           a 40m53s

27º Pedro Oliveira (Dakartek)           a 4h59m43s

34.º Pedro Bianchi Prata (BMW)      a 6h29m16s

49.º Paulo Gonçalves (BMW)      a 8h03m14s

65º Rui Oliveira (Dakartek)   a 10h49m23s

74º Fausto Mota (Dakartek)  a 12h16m25s

Escrito por: António Gonçalves Rodrigues

  • Pin It
  • Print Friendly and PDF

Você deve estar logado para comentar Login